Home         Igreja Virtual         Multimídia         Cultos           Rede Gospel            Gospel FM         Igospelmail
Vacina contra o HPV e a segurana das pacientes

Meninas de 11 a 13 anos de todo o Brasil estão aptas a receber a segunda dose da vacina HPV. A campanha teve início em 1º de setembro com o objetivo de imunizar 4,9 milhões de garotas em todo o país, de acordo com o Ministério da Saúde.
 
O programa de vacinação do Governo Federal institui que esse reforço deve ocorrer seis meses após a primeira aplicação, com a terceira dose após cinco anos. A vacina distribuída no Sistema Único de Saúde é do tipo quadrivalente, que protege contra quatro tipos de HPV: 6, 11, o 16 e o 18.
 
Dois deles (o 6 e o 11) respondem pelo aparecimento de 90% das verrugas genitais. Os outros dois (o 16 e o 18) estão relacionados com 70% dos casos de câncer de colo de útero.
 
O câncer de colo de útero tem alta incidência entre as mulheres. Além da vacina, a prevenção também envolve o exame Papanicolau, que identifica possíveis lesões precursoras de câncer. Com o diagnóstico e a intervenção terapêutica precoces, é possível evitar o desenvolvimento da doença.
 
A expectativa do Ministério da Saúde é de que a combinação de vacinação com o teste preventivo, este realizado a partir dos 25 anos, permita que as garotas vacinadas nesta campanha sejam as primeiras em que o câncer de colo de útero seja eliminado como causa de morte entre as mulheres.
 
Para contribuir por uma melhor cobertura vacinal, a imunização será expandida às escolas públicas. Vale ressaltar que a vacinação está preconizada no Estatuto da Criança e Adolescente, sem requerer autorização dos pais, exceto em casos de desacordo.
 
Segurança
 
Dias após o início da campanha, 11 meninas se queixaram de sintomas como mal estar e cefaleia, entre outros, em Bertioga, cidade do litoral paulista. Após exames médicos, foram liberadas, entretanto três delas retornaram, com relato de sintomas mais acentuados, voltando à internação hospitalar para observação. Até o momento, os exames realizados não mostraram anormalidades. Os especialistas garantem que a vacina é segura e não há motivos para alardes em virtude de tais intercorrências.
“A vacina é segura, ao contrário das suspeitas levantadas devido a esses casos. No primeiro semestre, durante a primeira dose, não houve problemas. O único sintoma que podemos relacionar é o desmaio em consequência da dor local. Por essa razão, a vacina deve ser aplicada com a menina deitada ou sentada, seguida de observação por 15 minutos”, esclarece a dra. Marta Heloísa Lopes, coordenadora do Comitê Científico de Imunização da Sociedade Brasileira de Infectologia.
 
Os eventos adversos mais comuns relacionados à vacina de HPV são dor, inchaço e vermelhidão local.  Sintomas como febre, mal estar e cefaleia também são relatados.
 
Dra. Marta explica que a vacina é muito semelhante à da Hepatite B. “As duas são obtidas por meio de engenharia genética, um dos modos mais seguros que existe, e contém somente a superfície do vírus”, destaca. Na rede privada, cada dose chega a custar R$ 500, em média.
 
Pesquisas realizadas em países que adotaram a imunização há mais tempo mostram que os riscos de ocorrerem reações são parecidos com os de outras vacinas já integradas no calendário vacinal.
 
 
Redação iGospel
Leia também:
HPV: Começou a vacinação das meninas no Brasil (11.03)
Ginecologista fala sobre os riscos do HPV! Previna-se! (18.10)

Publicado em 17/09/2014
Matérias | Igrejas | BUSCADOR


Mais Notícias
15.05
Em meio à pandemia, Renascer distribuiu 205 mil cestas básicas
14.05
Domingo é dia de Celebração da Família na Renascer
14.05
Americanos já podem deixar de usar máscaras
14.05
Marcha para Jesus deste ano terá mega carreata solidária
14.05
Dicas de aplicativos para colocar sua leitura em dia
14.05
Hoje! Culto de Libertação nas Igreja Renascer
14.05
Médicos salvam a vida de bebê com coração impresso em 3D

Radio Gospel FM 90.1 | Marcha para Jesus | Renascer Praise | O2 Church
Todos os direitos reservados - 2021 | Ano Apostólico de Rute
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.