Apóstolo fala da interferência de Deus em nossas vidas

Durante a Ceia de Oficiais de maio, realizada neste sábado (07), na Renascer Arena, o Apóstolo Estevam Hernandes falou sobra a interferência de Deus em tempos de guerra.


Acompanhe, a seguir, o resumo da ministração:

2 Reis 3.4 a 27: “Mesa, rei dos moabitas, era criador de gado e pagava o seu tributo ao rei de Israel com cem mil cordeiros e a lã de cem mil carneiros. Mas depois da morte de Acabe, o rei dos moabitas se revoltou contra o rei de Israel. Por isso, naquele instante Jorão saiu de Samaria e reuniu todo o exército de Israel. Mandou dizer a Josafá, rei de Judá: — O rei de Moabe se revoltou contra mim. Você irá comigo à guerra contra Moabe? Josafá respondeu: — Irei. Sou como você é, o meu povo é como o seu povo, e os meus cavalos são como os seus cavalos. E Josafá perguntou: — Por que caminho iremos? Jorão respondeu: — Pelo caminho do deserto de Edom.


Partiram o rei de Israel, o rei de Judá e o rei de Edom. Após sete dias de marcha, não havia água para o exército e para os animais que os seguiam. Então o rei de Israel disse: — Ah! O Senhor chamou estes três reis para os entregar nas mãos de Moabe. Josafá perguntou: — Não há, aqui, algum profeta do Senhor , para que consultemos o Senhor por meio dele? Um dos servos do rei de Israel respondeu: — Aqui está Eliseu, filho de Safate, que era servo de Elias. Josafá disse: — Está com ele a palavra do Senhor . Então o rei de Israel, Josafá e o rei de Edom foram falar com Eliseu.


Mas Eliseu disse ao rei de Israel: — Que tenho eu a ver com você? Vá falar com os profetas de seu pai e os profetas de sua mãe. Porém o rei de Israel lhe disse: — Não, porque o Senhor Deus é quem chamou estes três reis para os entregar nas mãos de Moabe. Eliseu disse: — Tão certo como vive o Senhor dos Exércitos, em cuja presença estou, se eu não respeitasse a presença de Josafá, rei de Judá, não daria atenção nem olharia para você. Agora me tragam um músico. Enquanto o músico tocava, o poder de Deus veio sobre Eliseu. Este disse: — Assim diz o Senhor : Façam, neste vale, covas e mais covas.


Porque assim diz o Senhor: Vocês não sentirão vento, nem verão chuva, mas este vale se encherá de água; e vocês beberão, bem como o seu gado e os seus animais. Mas isto ainda é pouco aos olhos do Senhor . Ele também entregará Moabe nas suas mãos. Vocês conquistarão todas as cidades fortificadas e todas as cidades principais. Cortarão todas as árvores frutíferas, taparão todas as fontes de água e danificarão com pedras todos os campos de cultivo. E aconteceu que, no dia seguinte, na hora do sacrifício da manhã, eis que água vinha descendo dos lados de Edom; e a terra se encheu de água. Quando todos os moabitas ouviram que os reis tinham vindo para lutar contra eles, convocaram todos os que estavam aptos para a guerra, desde o mais novo até o mais velho, e tomaram posição nas fronteiras.


Os moabitas se levantaram de madrugada e, quando o sol raiou sobre as águas, viram que as águas diante deles estavam vermelhas como sangue. E disseram: — Isto é sangue! Certamente os reis se destruíram e se mataram um ao outro! Agora, moabitas, é hora de pegar os despojos! Mas, quando eles chegaram ao arraial de Israel, os israelitas se levantaram e atacaram os moabitas, os quais fugiram deles. Os israelitas entraram na terra e também aí mataram os moabitas. Arrasaram as cidades, e cada um lançou uma pedra em todos os campos de cultivo, e os entulharam. Taparam todas as fontes de águas e cortaram todas as árvores frutíferas. Só Quir-Haresete ficou com suas muralhas; mas os que atiravam com fundas a cercaram e atacaram.


Quando o rei de Moabe percebeu que estava perdendo a batalha, tomou consigo setecentos homens armados com espada para abrir caminho e chegar até o rei de Edom, porém não puderam. Então pegou o seu filho primogênito, que havia de reinar em seu lugar, e o ofereceu em holocausto sobre a muralha. Houve grande ira contra Israel e, por isso, eles se retiraram dali e voltaram para a sua própria terra.”


Durante o reinado de Acabe, Israel protegia os moabitas. Após sua morte, os moabitas simplesmente se viraram contra povo de Israel. Josafá, então, se propõe a defendê-los e faz uma convocação em Judá e faz uma aliança com o rei Jorão.


É muito importante lembrarmos que existia, naquela época, uma grande diferença entre Israel e Judá – espiritualmente falando. Ambos eram povos de Deus, mas Israel estava contaminado pela idolatria, enquanto que Judá se propôs a seguir os passos de Davi, o que foi determinante para o resultado daquela guerra.


Jorão havia herdado de seus antecessores:

1- A RELIGIOSIDADE, QUE É FALSA E DEMONÍACA


Mateus 12.34 e 35: “Raça de víboras! Como vocês podem falar coisas boas, sendo maus? Porque a boca fala do que está cheio o coração. A pessoa boa tira do tesouro bom coisas boas; mas a pessoa má do mau tesouro tira coisas más.”


Os maiores opositores do ministério de Cristo foram os religiosos. Eles eram hipócritas e acusadores.


Paulo, em sua jornada, também foi alvo de pessoas que estavam dominadas por esta malignidade. Vemos isso quando ele passou por Atenas.


E o que Deus espera de nós? Que tenhamos a mesma relação com o Senhor que Judá tinha nos tempos de Josafá.


2- A FALTA DE UMA COBERTURA PROFÉTICA


2 Crônicas 20.20: “Na manhã seguinte, levantaram cedo e foram para o deserto de Tecoa. Ao saírem, Josafá se pôs em pé e disse: — Escutem, povo de Judá e moradores de Jerusalém! Creiam no Senhor , seu Deus, e vocês estarão seguros; creiam nos profetas do Senhor e vocês serão bem-sucedidos.”


Hoje, vemos as pessoas sendo manipuladas pelo inferno para saírem debaixo da cobertura apostólica e profética para viver um vida espiritualmente descompromissada. Essa era a realidade de Jorão e Israel.


2 Reis 3.13: “Mas Eliseu disse ao rei de Israel: — Que tenho eu a ver com você? Vá falar com os profetas de seu pai e os profetas de sua mãe. Porém o rei de Israel lhe disse: — Não, porque o Senhor Deus é quem chamou estes três reis para os entregar nas mãos de Moabe.”


3- UMA VISÃO LIMITADA E O HÁBITO DA MURMURAÇÃO


2 Reis 3.9 e 10: “Partiram o rei de Israel, o rei de Judá e o rei de Edom. Após sete dias de marcha, não havia água para o exército e para os animais que os seguiam. Então o rei de Israel disse: — Ah! O Senhor chamou estes três reis para os entregar nas mãos de Moabe.”


Jorão tinha uma mentalidade incrédula. Em vez de enxergar a possibilidade de um grande livramento, já assumiu a derrota.


Josafá, por outro lado, não se abalou, pois confiava em Deus.


Em meio à guerras, precisamos seguir o conselho que Paulo nos deixou:


Filipenses 2.5: “Tenham entre vocês o mesmo modo de pensar de Cristo Jesus.”


O sentimento de Cristo era de vitória, e não de desgraça!


Quando temos uma aliança com Deus, sabemos que Ele nos coloca em campos de batalha para vivermos o sobrenatural, e não para sermos destruídos.


Nunca invalide o que Deus pode fazer! Lembre-se de que fé é otimismo!


Quem tem uma Palavra não perece no deserto!

Guarde essas três coisas:


1- EM MEIO À ADVERSIDADE, SOMOS GUIADOS PELO PODER E COBERTURA DA PALAVRA QUE SAI DA BOCA DE DEUS


Isaías 55.11: “assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei."


Em meio a tantas incertezas e notícias ruins, Eliseu chama um tangedor para transformar aquele ambiente de medo em um ambiente de adoração.


Deus, então, através de Eliseu libera uma palavra profética e uma estratégia de vitória.


Aquelas covas, ao contrário do que os pessimistas já assumiram, não era para seus corpos mortos, mas para que Deus enchesse sobrenaturalmente de água.


Ezequiel 47.1: “Depois disto, o homem me fez voltar à entrada do templo, e eis que água saía de debaixo do limiar do templo e corria na direção do leste. Porque a fachada do templo dava para o leste. A água vinha de debaixo do lado direito do templo, do lado sul do altar.”


Existem águas espirituais que saem da rocha que é Cristo. Essas águas saciam nossa sede e nos fazem transbordar.


2- DEUS TEM CAMINHOS QUE O HOMEM NÃO CONHECE


Hebreus 1.1 a 4: “Antigamente, Deus falou, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, mas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e pelo qual também fez o universo. O Filho, que é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela sua palavra poderosa, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas, tendo-se tornado tão superior aos anjos quanto herdou mais excelente nome do que eles.”


Deus não os havia levado ao deserto para serem derrotados. Ele tinha um plano que envolveria um grande mistério que não seria razoável ao entendimento humano! Um grande livramento aparentemente do nada iria acontecer.


As águas surgiram “do nada”, encheram as covas e ainda sobrou para o povo se revigorar!


3- DEUS TEM PARA NÓS A VITÓRIA PELO PODER DO SANGUE


João 19.34: “Mas um dos soldados lhe abriu o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.”


Quando os moabitas vieram como enxame sobre os três reis, eles viram um fenômeno sobrenatural. As águas que preencheram as valas se transformaram em sangue – a exemplo do corpo de Cristo na cruz, quando os soldados perfuraram o lado direito do Seu corpo.


Os moabistas ficaram confusos e começaram a matar uns aos outros. Eles foram derrotados pelo poder do sangue!


Os moabitas viram o sangue na água. Satanás vê o sangue de Jesus em nossas vidas e, pelo poder do sangue de Cristo, somos vencedores.


1 João 5.7 e 8: “Pois há três que dão testemunho: o Espírito, a água e o sangue, e os três são unânimes num só propósito.”


O sangue de Jesus testifica na terra nossa vitória e redenção.


O Espírito, a Água e o Sangue são um em Cristo!


E este mover está sobre a Igreja! Aleluia!


Redação

Últimas