Apóstolo fala sobre a posição do ungido na guerra

Durante a Ceia de Oficiais de abril, realizada no Renascer Hall com transmissão ao vivo para todas as igrejas Renascer em Cristo, o Apóstolo Estevam Hernandes ministrou sobre a posição do ungido na guerra.

Acompanhe, a seguir, o resumo da Palavra:


Salmos 144.1 a 7: “Bendito seja o Senhor, rocha minha, que me adestra as mãos para a batalha e os dedos, para a guerra; minha misericórdia e fortaleza minha, meu alto refúgio e meu libertador, meu escudo, aquele em quem confio e quem me submete o meu povo. Senhor, que é o homem para que dele tomes conhecimento? E o filho do homem, para que o estimes? O homem é como um sopro; os seus dias, como a sombra que passa. Abaixa, Senhor, os teus céus e desce; toca os montes, e fumegarão. Despede relâmpagos e dispersa os meus inimigos; arremessa as tuas flechas e desbarata-os. Estende a mão lá do alto; livra-me e arrebata-me das muitas águas e do poder de estranhos...”


A Palavra nos mostra uma verdadeira guerra que envolve reinos espirituais, em uma disputa entre o bem e o mal.


Precisamos ter consciência de que, através de Cristo, fazemos parte do Reino da Luz e, naturalmente Satanás é o nosso inimigo.


Colossenses 1.13: “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor.”


Tudo no mundo espiritual é conquistado com guerras, pois sua origem está nesta disputa espiritual.


Precisamos nos posicionar de acordo com o reino do qual fazemos parte.


Quando Josafá foi ameaçado, o que ele fez? Orou e jejuou! E onde ele estava? Na Casa de Deus. É assim que lutamos nossas guerras: revestidos espiritualmente!


O Senhor orientou que Josafá e o povo se posicionasse e, assim, eles venceram!


Como servos de Deus:


1- NÃO PODEMOS SER ROUBADOS PELAS NOSSAS DEFORMAÇÕES

1 Samuel 15.8 a 11 en16 a 28: “Tomou vivo a Agague, rei dos amalequitas; porém a todo o povo destruiu a fio de espada. E Saul e o povo pouparam Agague, e o melhor das ovelhas e dos bois, e os animais gordos, e os cordeiros, e o melhor que havia e não os quiseram destruir totalmente; porém toda coisa vil e desprezível destruíram. Então, veio a palavra do Senhor a Samuel, dizendo: Arrependo-me de haver constituído Saul rei, porquanto deixou de me seguir e não executou as minhas palavras. Então, Samuel se contristou e toda a noite clamou ao Senhor.


Então, disse Samuel a Saul: Espera, e te declararei o que o Senhor me disse esta noite. Respondeu-lhe Saul: Fala. Prosseguiu Samuel: Porventura, sendo tu pequeno aos teus olhos, não foste por cabeça das tribos de Israel, e não te ungiu o Senhor rei sobre ele? Enviou-te o Senhor a este caminho e disse: Vai, e destrói totalmente estes pecadores, os amalequitas, e peleja contra eles, até exterminá-los. Por que, pois, não atentaste à voz do Senhor, mas te lançaste ao despojo e fizeste o que era mau aos olhos do Senhor? Então, disse Saul a Samuel: Pelo contrário, dei ouvidos à voz do Senhor e segui o caminho pelo qual o Senhor me enviou; e trouxe a Agague, rei de Amaleque, e os amalequitas, os destruí totalmente; mas o povo tomou do despojo ovelhas e bois, o melhor do designado à destruição para oferecer ao Senhor, teu Deus, em Gilgal.


Porém Samuel disse: Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei. Porém Samuel disse a Saul: Não tornarei contigo; visto que rejeitaste a palavra do Senhor, já ele te rejeitou a ti, para que não sejas rei sobre Israel. Virando-se Samuel para se ir, Saul o segurou pela orla do manto, e este se rasgou. Então, Samuel lhe disse: O Senhor rasgou, hoje, de ti o reino de Israel e o deu ao teu próximo, que é melhor do que tu.”

Deus havia dado uma ordem a Saul: destruir todos os agagitas e não se apropriar de nada. O que ele fez? Poupou o rei e pegou seus despojos. A consequência desta desobediência foi a perda de seu reinado e de sua sucessão.


1 Samuel 15.26 a 28: “Porém Samuel disse a Saul: Não tornarei contigo; visto que rejeitaste a palavra do Senhor, já ele te rejeitou a ti, para que não sejas rei sobre Israel. Virando-se Samuel para se ir, Saul o segurou pela orla do manto, e este se rasgou. Então, Samuel lhe disse: O Senhor rasgou, hoje, de ti o reino de Israel e o deu ao teu próximo, que é melhor do que você.”


2- NÃO PODEMOS SER CONTAMINADOS PELA COBIÇA


Josué 7.20 a 25: “Respondeu Acã a Josué e disse: Verdadeiramente, pequei contra o Senhor, Deus de Israel, e fiz assim e assim. Quando vi entre os despojos uma boa capa babilônica, e duzentos siclos de prata, e uma barra de ouro do peso de cinquenta siclos, cobicei-os e tomei-os; e eis que estão escondidos na terra, no meio da minha tenda, e a prata, por baixo. Tomaram, pois, aquelas coisas do meio da tenda, e as trouxeram a Josué e a todos os filhos de Israel, e as colocaram perante o Senhor.


Então, Josué e todo o Israel com ele tomaram Acã, filho de Zera, e a prata, e a capa, e a barra de ouro, e seus filhos, e suas filhas, e seus bois, e seus jumentos, e suas ovelhas, e sua tenda, e tudo quanto tinha e levaram-nos ao vale de Acor. Disse Josué: Por que nos conturbaste? O Senhor, hoje, te conturbará. E todo o Israel o apedrejou; e, depois de apedrejá-los, queimou-os.”


A contaminação não estava na capa, mas no coração de Acã.


Aquele posicionamento de desobediência levou o povo de Israel à derrota.


A contaminação vem por três vias:


1- Palavras enganosas;


2- Sentimentos enganosos;


3- Pensamentos enganosos.

3- NÃO PODEMOS TER POSICIONAMENTOS PECAMINOSOS NA GUERRA

1 Samuel 4.10 e 11: “Então, pelejaram os filisteus; Israel foi derrotado, e cada um fugiu para a sua tenda; foi grande a derrota, pois foram mortos de Israel trinta mil homens de pé. Foi tomada a arca de Deus, e mortos os dois filhos de Eli, Hofni e Fineias.”


Os filhos de Eli, Hofni e Fineias, morreram tragicamente, pois foram à guerra em pecado e cheio de pendências espirituais.


Romanos 6.23: “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.”


Estamos em guerra em todas as áreas de nossas vidas. Para vencermos, é imprescindível estarmos em santidade. Deus não exige perfeição, mas posicionamentos quem condizem com aquilo que acreditamos.


1 Pedro 1.15: “Porém, considerando a santidade daquele que vos convocou, tornai-vos, da mesma maneira, santos em todas as vossas atitudes.”


Eu só posso entrar em guerra revestido pelo Espírito Santo e gerando Seu fruto.

1- QUE SEJAMOS COMO OS VALENTES DE DAVI: POSCIONADOS NA GUERRA COMO UNGIDOS E PROTETORES DA OBRA DE DEUS


2 Samuel 23.8 a 12: “São estes os nomes dos valentes de Davi: Josebe-Bassebete, filho de Taquemoni, o principal de três; este brandiu a sua lança contra oitocentos e os feriu de uma vez. Depois dele, Eleazar, filho de Dodô, filho de Aoí, entre os três valentes que estavam com Davi, quando desafiaram os filisteus ali reunidos para a peleja. Quando já se haviam retirado os filhos de Israel, ele se levantou e feriu os filisteus, até lhe cansar a mão e ficar pegada à espada; naquele dia, o Senhor efetuou grande livramento; e o povo voltou para onde Eleazar estava somente para tomar os despojos. Depois dele, Sama, filho de Agé, o hararita, quando os filisteus se ajuntaram em Leí, onde havia um pedaço de terra cheio de lentilhas; e o povo fugia de diante dos filisteus. Pôs-se Sama no meio daquele terreno, e o defendeu, e feriu os filisteus; e o Senhor efetuou grande livramento.”


Os três principais valentes eram:


Josebe-Bassebete, que enfrentou 800 filisteus e lutou até a espada ficar grudada em suas mãos.


Sama, que defendeu o campo de suprimento.


Eleazar, que estava posicionado para tomar os despojos.


Eles tinham como marca: a lealdade, a fidelidade e a aliança eterna e, por isso, venceram.


2- QUE TENHAMOS UM ESPÍRITO VENCEDOR COMO O DE DAVI


2 Samuel 8.13 e 14: “Ganhou Davi renome, quando, ao voltar de ferir os siros, matou dezoito mil homens no vale do Sal. Pôs guarnições em Edom, em todo o Edom pôs guarnições, e todos os edomitas ficaram por servos de Davi; e o Senhor dava vitórias a Davi, por onde quer que ia.”


Davi era um verdadeiro exemplo de fé e superação, pois tinha um espírito vencedor. Independente da opinião dos outros ou do tamanho do seu exército, ele nunca se enxergou como um derrotado.


Ele não enxergava os “nãos” de Deus como uma derrota, mas como um aperfeiçoamento do plano d’Ele.


Ele não enxergava os “nãos” de Deus como uma punição, mas como uma preservação.


Em Cristo, temos esta mesma essência. Precisamos ativá-la!


Filipenses 2.5: “Tenham entre vocês o mesmo modo de pensar de Cristo Jesus.”


3- ASSIM COMO JOSAFÁ, TEMOS AUTORIDADE PARA, EM MEIO ÀS GUERRAS, TRAZER O CÉU PARA A TERRA.


2 Crônicas 20.20 a 22: “Pela manhã cedo, se levantaram e saíram ao deserto de Tecoa; ao saírem eles, pôs-se Josafá em pé e disse: Ouvi-me, ó Judá e vós, moradores de Jerusalém! Crede no Senhor, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas e prosperareis. Aconselhou-se com o povo e ordenou cantores para o Senhor, que, vestidos de ornamentos sagrados e marchando à frente do exército, louvassem a Deus, dizendo: Rendei graças ao Senhor, porque a sua misericórdia dura para sempre. Tendo eles começado a cantar e a dar louvores, pôs o Senhor emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os do monte Seir que vieram contra Judá, e foram desbaratados.”


Quando trazemos os céus para terra, com nossos jejuns e oração, Deus abala as estruturas nos leva a ter vitórias sobrenaturais.


2 Crônicas 20.17: “Toma posição e veja o livramento que o senhor nos dará.”



Redação

Últimas