top of page

Ataque à sinagoga de Jerusalém deixa sete mortos

Sete pessoas morreram em ataque a tiros em uma sinagoga em Jerusalém Oriental nesta sexta-feira (27/1). Pelo menos outras três ficaram feridas.


O incidente aconteceu no bairro Neve Yaakov por volta das 20h15 - às 15h15, no horário de Brasília.

A polícia israelense descreveu o agressor como um "terrorista" e disse que ele foi "neutralizado". A mídia israelense relatou que o agressor foi morto pelas forças de segurança enquanto fugia do local do crime.


O governo dos Estados Unidos condenou o ataque. Vedant Patel, porta-voz do Departamento de Estado, afirmou: "Estamos com o povo israelense em solidariedade."


Vários outros países também expressaram preocupação, incluindo o Reino Unido e a Austrália.


"Atacar fiéis em uma sinagoga no Dia Memorial do Holocausto e durante o Shabat é horrível. Estamos com nossos amigos israelenses", escreveu o secretário de Relações Exteriores britânico, James Cleverly, no Twitter.


O Dia Memorial do Holocausto lembra as vítimas do Holocausto, quando seis milhões de judeus foram mortos pelo regime nazista na Alemanha.


"O agressor é residente de Jerusalém Oriental", disse o comandante distrital da polícia, Doron Turgeman. "Estamos concluindo as operações no local."


Logo após o ataque, Itamar Ben-Gvir, controverso político de extrema-direita e ministro da Segurança Nacional de Israel, visitou o local do tiroteio.

Ben-Gvir prometeu "trazer a segurança de volta às ruas de Israel".


As tensões aumentaram na região desde que nove palestinos - tanto militantes quanto civis - foram mortos durante um ataque militar israelense em Jenin, na Cisjordânia ocupada, na quinta-feira.


Depois, foram registrados disparos de foguetes contra Israel a partir de Gaza, aos quais Israel respondeu com outros ataques aéreos.



*BBC

留言


Últimas

bottom of page