top of page

Cientistas acham trilhões de quilos de água na lua


Trilhões de quilos de água estão espalhados pela Lua, presos em pequenas “gotas de vidro” que teriam sido formadas quando asteroides colidiram com a superfície da Lua, de acordo com uma nova pesquisa.


As descobertas, apresentadas em um estudo publicado na revista científica Nature Geoscience, foram reunidas por cientistas na China, que analisaram as primeiras amostras do solo lunar a serem trazidas à Terra desde a década de 1970.


A pesquisa aponta a resposta para uma pergunta que os cientistas vêm fazendo há anos, enquanto tentam entender exatamente como a água é estocada na Lua – principalmente nas regiões fora dos polos lunares, onde o gelo pode existir em maior abundância.


Essencialmente, o estudo preenche algumas lacunas em uma teoria sobre o ciclo da água lunar.


Para sustentar um ciclo da água na superfície da Lua, deveria existir uma camada hidratada (reservatório) profunda nas terras lunares, segundo os autores do estudo. “No entanto, encontrar esse reservatório parecia ilusório, apesar de diversos estudos terem investigado o inventário de água em grãos finos de minerais em solo lunar.”


Os pesquisadores decidiram identificar um potencial reservatório de água ao investigar as gotas de vidro formadas durante o impacto de asteroides. E a equipe encontrou os pequenos objetos com quantidades substanciais de água.


Uma leitura do estudo


A amostra de solo lunar analisada para este estudo foi coletada pela missão Chang’e-5, da China, que fez um pouso suave no canto noroeste da Lua voltado para a Terra e carregou amostras de regolito de volta para casa em 2020.


A partir dessas amostras, pesquisadores de várias instituições na China, incluindo a Universidade de Nanjing e a Academia Chinesa de Ciências, escolheram a dedo 150 grãos para estudar, variando em tamanho de cerca de 50 micrômetros – ou a largura de um fio de cabelo humano – a cerca de 1 milímetro.


A teoria proposta por esta última pesquisa é que essas gotas de vidro, formadas nos tempos antigos, podem ter sido imbuídas de água quando atingidas pelos ventos solares, que transportam hidrogênio e oxigênio da atmosfera do sol através do sistema solar. Na verdade, pode haver mais de 270 trilhões de quilos de água armazenados na Lua.


“Encontramos um novo mecanismo, no qual o hidrogênio do vento solar pode difundir nas gotas de vidro e, assim, identificamos um novo reservatório de água na Lua”, disse Hejiu Hui, um dos coautores do estudo e pesquisador da Universidade de Nanjing, por e-mail. “Por outro lado, gotas de vidro de impacto são distribuídas no regolito globalmente na Lua. Portanto, as gotas de vidro de impacto podem ser reabastecidas com água na superfície da Lua e podem sustentar o ciclo da água na superfície lunar”.


As gotas podem ser reabastecidas com água de poucos em poucos anos, sugeriu o estudo.


As descobertas se baseiam em pesquisas da Nasa que sugerem que a água está presente no lado da Lua iluminado pelo Sol. Os cientistas têm procurado mais informações sobre como essa água foi armazenada.


A Nasa não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre este estudo. A agência espacial não tem permissão para trabalhar com suas contrapartes chinesas desde 2011, quando o Congresso aprovou a Emenda Wolf.


Compreender como a água é armazenada na Lua é útil, observou Hui, porque poderia apontar futuros astronautas lunares para recursos potenciais que poderiam um dia ser convertidos em água potável ou até mesmo em combustível de foguete.


“Essa água pode ser liberada simplesmente aquecendo essas contas de vidro”, disse Hui.


Mudando de perspectiva


David Kring, cientista principal do Instituto Lunar e Planetário em Houston, disse que esta pesquisa dá aos cientistas uma nova visão sobre como a água pode ser armazenada na Lua, particularmente em locais semelhantes ao local de pouso da missão Chang’e 5 no lado próximo da Lua. Ele não esteve envolvido no estudo.


“Isso é importante para a discussão científica dos ciclos lunares da água na lua”, observou ele.


Mas, disse Kring, provavelmente existem lugares melhores para os astronautas coletarem água para fins práticos, “é por isso que estamos interessados nos polos lunares”.


Os cientistas teorizaram que pode haver grandes depósitos de gelo de água nos polos da lua desde a era Apollo. E a Nasa planeja enviar astronautas para explorar a área como parte de seu programa Ártemis, que visa enviar humanos ao polo sul lunar ainda nesta década.


“Acho que o interesse internacional na exploração da Lua alimentará o interesse de todos”, disse Kring. “Mal posso esperar até que tenhamos astronautas Ártemis na região polar sul lunar em dois a três anos.”


*CNN

Últimas

bottom of page