Inscrição em túnel confirma passagem bíblica


"Ora, o restante dos atos de Ezequias, e todo o seu poder, e como fez a piscina e o aqueduto, e como fez vir a água para a cidade, porventura não estão escritos no livro das crônicas dos reis de Judá?" - 2 Reis 20:20.

"Quando Ezequias viu que Senaqueribe tinha vindo com o propósito de guerrear contra Jerusalém, teve conselho com os seus príncipes e os seus poderosos, para que se tapassem as fontes das águas que havia fora da cidade; e eles o ajudaram. Assim muito povo se ajuntou e tapou todas as fontes, como também o ribeiro que corria pelo meio da terra, dizendo: Por que viriam os reis da Assíria, e achariam tantas águas?" - 2 Crônicas 32:2 a 4.

No século 19, encontraram uma inscrição arqueológica em um túnel de Jerusalém que comprova os relatos descritos nos textos bíblicos acima.


Trata-se de aqueduto escavado em uma rocha sólida por volta de 701 a.C., durante o reinado de Ezequias.

Descrito por peritos como uma das grandes proezas de engenharia da antiguidade, o túnel conduzia o povo desde a Fonte de Giom até o tanque de Siloé e foi projetado para abastecer Jerusalém de água, durante um sítio organizado pelos assírios.

Tom Meyer, professor de estudos bíblicos e Teologia na Faculdade da Bíblia Shasta (EUA), disse que, através das inscrições em questão, encontrou-se uma ampla evidência arqueológica, que condiz com o relato na Bíblia.

Ele afirma que "ainda que o geógrafo e historiador norte-americano Edward Robinson tenha sido a primeira pessoa a explorar o túnel em tempos modernos, em 1873, um menino local chamado Jacob Spafford – o filho adotivo do famoso autor de hinos Horatio Spafford – enquanto brincava no túnel, tropeçou em uma das mais antigas inscrições hebraicas jamais encontradas, em 1880", explica Meyer.

O especialista ainda destaca que “é a única inscrição da antiguidade de Israel que comemora um programa de obras públicas e é um dos mais antigos exemplos de escrita em hebraico".

Embora o registro apresente danos irreparáveis que dificultam o estudo e a análise, Meyer afirma que ele possui a descrição de obras de trabalhadores que escavaram o túnel, no qual se comemorava as atividades e feitos.

A inscrição se encontra no Museu de Arqueologia de Istambul, na Turquia, pois a área onde foi feita a descoberta na época, estava sob dominação do Império Otomano.

O Túnel de Ezequias já fez parte do trajeto da Caravana Apostólica, realizada todos os anos pela Igreja Renascer em Cristo, em Israel.

Relembre, no vídeo abaixo, a visita que os participantes realizaram ao local:


Redação



Últimas