top of page

Jihad Islâmica teria causado explosão em hospital


As Forças de Defesa de Israel (FDI) afirmaram que o bombardeio que causou a morte de mais de 500 pessoas em um hospital de Gaza ocorreu devido a uma falha no lançamento de foguetes por parte de membros do grupo extremista Jihad Islâmica em direção à nação israelense.


Um porta-voz das FDI afirmou que “múltiplas fontes de inteligência indicam que a Jihad Islâmica é responsável pelo lançamento falho do foguete que atingiu o hospital”.


O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, também se manifestou sobre o episódio.


“O mundo inteiro deveria saber: foram terroristas bárbaros em Gaza que atacaram o hospital em Gaza, e não as FDI. Aqueles que assassinaram brutalmente os nossos filhos também assassinam os seus próprios filhos”, escreveu na plataforma X, antigo Twitter.


A Jihad Islâmica Palestina é um grupo radical islâmico fundado na década de 1980, no Egito, por estudantes universitários de Gaza, com o objetivo de formar um estado palestino nas regiões de Gaza, Cisjordânia e partes de Israel.


Bem menor do que o Hamas, não participa de eleições e foca no combate armado contra Israel. É considerado um grupo terrorista também pelos Estados Unidos, União Europeia e Israel.


Ao longo do tempo, assumiu ataques suicidas e terroristas e não reconhecem a existência do Estado Israelense.


No ataque do dia 7 de outubro, uniu-se à ação do Hamas, de quem recebe apoio público. Ambos compartilham o ideal de luta contra Israel, mas nem sempre concordam em todas as decisões.



Redação

Comments


Últimas

bottom of page