top of page

OMS declara fim da COVID-19 como uma emergência global


O chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) da ONU declarou "com grande esperança" o fim da COVID-19 como uma emergência de saúde pública.


De acordo com o Painel de Controle do Coronavírus da OMS, que reuniu as principais estatísticas desde o início da pandemia, os casos acumulados em todo o mundo agora são de 765.222.932, com quase sete milhões de mortes: o número exato atualmente é de 6.921.614.


Até 30 de abril, um total de mais de 13,3 bilhões de doses de vacina foram administradas em todo o mundo.


Informando a imprensa na sede da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Genebra, Tedros Adhanom Ghebreyesus declarou "com grande esperança" o fim da COVID-19 como uma emergência de saúde pública, enfatizando que isso não significa que a doença não seja mais uma ameaça global.

'Ainda matando, ainda mudando'


Ele disse que o vírus - transformado pela primeira vez em uma emergência de saúde pública de interesse internacional pelo chefe da OMS em 30 de janeiro de 2020 - veio para ficar: "Ele ainda está matando e ainda está mudando. Permanece o risco de surgirem novas variantes que causem novos surtos de casos e mortes."


Ele disse que a decisão não foi tomada de ânimo leve. Durante o ano passado, o Comitê de Emergência liderado pela OMS examinou cuidadosamente os dados para saber qual era o momento certo para dar o alarme.


Por mais de 12 meses, a pandemia "tem apresentado uma tendência de queda", disse ele, com o aumento da imunidade devido às vacinas altamente eficazes desenvolvidas em tempo recorde para combater a doença e as infecções. As taxas de mortalidade diminuíram e a pressão sobre os sistemas de saúde, antes sobrecarregados, diminuiu.


"Essa tendência permitiu que a maioria dos países retornasse à vida como a conhecíamos antes da COVID-19", acrescentou Tedros.


'Torrente de informações errôneas e desinformação'


Mas ele refletiu que o impacto da pandemia "expôs as falhas políticas, dentro e entre as nações. Ela corroeu a confiança entre pessoas, governos e instituições, alimentada por uma torrente de desinformação".


Tedros também observou o enorme dano infligido pelo vírus em todos os aspectos da vida global, incluindo uma enorme turbulência econômica, "apagando trilhões do PIB, interrompendo viagens e comércio, fechando empresas e mergulhando milhões na pobreza".


Ele lembrou que, enquanto falava, milhares de pessoas em todo o mundo continuam lutando por suas vidas em terapia intensiva, e outros milhões viverão no futuro próximo "com os efeitos debilitantes" das condições pós-COVID, ou a chamada "COVID longa".


O chefe da OMS disse que, em um certo nível, o fim da emergência era um momento para comemorar e prestou homenagem à "incrível habilidade e dedicação altruísta dos profissionais de saúde e assistência" em todo o mundo.



Com informações de Nações Unidas

ความคิดเห็น


Últimas

bottom of page