Rússia realiza novos ataques na Ucrânia, deixando 60 feridos

Kiev, Lviv e outras cidades na Ucrânia foram alvo de explosões nesta segunda-feira (10), após a Rússia acusar o governo ucraniano de planejar o ataque à importante ponte de Kerch, no último sábado (8). A estrutura ligava o território russo à península da Crimeia - anexada por Moscou em 2014.

Explosões também foram relatadas em Ternopil e Zhytomyr, no oeste da Ucrânia, e em Dnipro, na região central do país. Os ataques deixaram ao menos 11 mortos e mais de 60 feridos, segundo autoridades ucranianas.


O governo russo voltou a atacar Kiev meses após ter abandonado a investida contra a região, onde enfrentou resistência no início da guerra. Desde então, O Kremlin havia concentrado os ataques no sul da Ucrânia e nos territórios de Donetsk e Luhansk, ao leste.


Em um discurso na TV nesta segunda-feira, Vladimir Putin disse que o Kremlin lançou mísseis contra a Ucrânia em retaliação ao ataque à ponte de Kerch. Putin afirmou também que Kiev realizou “atos terroristas” contra a Rússia e que Moscou vai responder "duramente" a quaisquer novos ataques.


Após as explosões, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, acusou a Rússia de tentar varrer seu país “da face da terra” após os ataques desta segunda-feira.



Fonte: CNN Brasil

Últimas