Black Friday: Tudo o que você precisa saber!


Considerada uma das datas mais importantes para o comércio, a Black Friday de 2022 está chegando no Brasil.


Após dois anos consecutivos impactada pela pandemia, um levantamento do Mercado Livre mostrou que 78% dos brasileiros querem gastar mais nesta edição do evento — e já estão se preparando financeiramente para isso.


Se você faz parte desse grupo e já está planejando aproveitar os preços mais baixos, ou ainda está na dúvida se deve gastar ou não, a CNN separou algumas perguntas mais comuns sobre a data. Confira agora como vai funcionar a Black Friday de 2022:


O que significa Black Friday? Como a data começou?


A Black Friday é um evento importado dos Estados Unidos, conhecido mundialmente pelas ofertas em lojas físicas e virtuais.


Não há um consenso sobre o surgimento da data: sabe-se que o nome existe desde o século XIX, e que ela acontece na sequência ao feriado de Dia de Ações de Graças, ou seja, na última sexta-feira de novembro.


Segundo o Instituto Brasileiro de Defesa ao Consumidor (Idec), a Black Friday é praticada no Brasil desde 2010, e começou como um evento exclusivamente online que passou para o varejo físico, incluindo pequenos e grandes comércios.


Atualmente, a data é consolidada no calendário do comércio brasileiro.


Quando será a Black Friday?


A Black Friday sempre acontece na última sexta-feira de novembro, um dia após o feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos. Este ano, ela acontece no dia 25 de novembro, e termina só na segunda-feira (28), chamada de Cyber Monday (mais informações abaixo).


Há, ainda, algumas empresas ampliam as promoções até segunda-feira (28), chamada de Cyber Monday (mais informações abaixo).


Mas não são todas as marcas que seguem esse calendário. Os lojistas têm aderido a promoções antecipadas, descontos especiais o mês todo e até “esquentas” para a Black Friday ao longo da semana. Existem até nomes como “Black Week”, que surgiram para unificar o conjunto de ofertas que acontecem na segunda metade do mês de novembro.


Caso você esteja de olho em uma loja ou site específico, vale acompanhá-los ao longo do mês para conferir quando as promoções vão começar, caso elas aconteçam.


Como funciona a Black Friday?


De modo geral, a Black Friday funciona da seguinte forma: os comerciantes diminuem a margem de lucro na unidade, buscando ganhar em volume. Isso é possível porque, como a data foi consolidada no país, há um número maior de clientes circulando pelas lojas e site em busca dessas promoções.


Todos os comércios e serviços são obrigados a aderir à Black Friday?


Não. No entanto, as lojas que optarem pela adesão à data devem comunicar as ofertas e respeitar o Código de Defesa do Consumidor.


Black Friday vale a pena?


Os descontos representam o maior atrativo da Black Friday para os consumidores, mas este não é o único fator que deve ser considerado antes de fazer uma boa compra.


A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, reforça que consumidores não devem se deixem levar pelas ofertas e efetuar compras por impulso, sobretudo quando há chances de endividamento.


Em outras palavras: os descontos oferecidos valem a pena quando o produto ou serviço adquirido são realmente úteis, fazendo sentido dentro do orçamento do consumidor. “É importante estar atento para comprar somente o necessário”, escreve o órgão.


O que comprar na Black Friday?


A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) fez um levantamento neste ano para avaliar o potencial de descontos efetivos durante a Black Friday. Por 40 dias, a entidade coletou 180 preços dos itens mais buscados pela internet e descobriu que 39% deles revelaram tendência de redução.


Os principais destaques da pesquisa foram as quedas de 17% no valor de sapato masculino, 13% em lavadora de roupa, 10% em smartwatch e 8% em fones de ouvido.


Ainda, uma pesquisa feita pela Neotrust, empresa que fornece dados e inteligência sobre o e-commerce brasileiro, mostrou que os produtos mais consumidos em 2021 foram:


- Moda e acessórios;

- Beleza e perfumaria;

- Telefonia;

- Eletro-portáteis;

- Eletrodomésticos.


Quais cuidados devo tomar durante a Black Friday?


Para não cair em golpes durante a Black Friday, o Idec publicou uma série de dicas para se prevenir e aproveitar as promoções com responsabilidade.


Segundo o instituto, pesquisar os preços antes de comprar é essencial. Visite sites e lojas diferentes com antecedência e pesquise o preço, as condições de venda e as especificações do produto.


Alguns sites e os Procons fazem monitoramento de preço para ajudar os consumidores a escolherem empresas com boa reputação.


Para se resguardar, guarde o folheto, tire uma foto da tela do computador ou celular com a demonstração do produto, valor, e com informação do link, nome da empresa, data e hora em que foi feita a pesquisa.


A Senacon também faz um alerta para que consumidores tenham atenção redobrada em compras via e-commerce, onde as práticas enganosas são mais recorrentes.


Quais são os melhores sites e lojas para comprar na Black Friday?


Para a Black Friday, não existe receita de bolo. O consumidor precisa pesquisar e buscar os produtos e ofertas que mais estejam em consonância com as necessidades e objetivos a longo prazo — claro, sempre levando em conta a responsabilidade financeira.


Em relação a sites, contudo, o Idec indica que é fundamental checar a reputação e segurança antes de fazer suas compras. Confira algumas dicas disponibilizadas pelo instituto:


- Certifique-se de que a empresa existe, verificando se possui endereço físico e SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente).


- Acesse o histórico de reclamações no Procon de seu município e no site consumidor.gov.br, do Ministério da Justiça, para verificar a reputação da loja.


- Consulte a lista do Procon-SP, com cerca de 500 sites que devem ser evitados.


- Ao acessar o endereço eletrônico, verifique se aparece um cadeado no canto esquerdo da barra de busca. Caso esteja visível, provavelmente a loja é segura.


- Evite também sites que só aceitam pagamento via boleto, pois além de não passar pela verificação da administradora do cartão, caso haja fraude, não conseguirá reaver o valor pago.


- Caso se depare com uma empresa falsa, denuncie ao Procon.


Quem fiscaliza as publicidades e ofertas da Black Friday?


Os Programas de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) são os responsáveis pela fiscalização do mercado durante a Black Friday.


A instituição realiza monitoramento de preços de uma amostra de produtos para orientar o consumidor se as ofertas têm realmente o desconto anunciado.


Já em casos específicos de publicidade, quem fiscaliza é o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar).


Como evitar compra de produtos com “preços maquiados” na Black Friday?


A Black Friday no Brasil acabou ganhando o apelido de “Black Fraude”, já que algumas lojas adotam a chamada maquiagem de preço.


Isso quer dizer que elas inflacionam o valor dos produtos dias antes para depois divulgar a venda com desconto, e dão a impressão ao consumidor de que é uma boa oportunidade de compra. Em outras palavras: o produto fica pela “metade do dobro”.


Segundo especialistas consultados pela CNN, plataformas e plug-ins como Zoom, Buscapé e Black Friday de Verdade ajudam o consumidor a se proteger dos falsos descontos que acontecem na data.


Posso cancelar uma compra feita na Black Friday?


Segundo o Procon-SP, nas compras feitas fora do estabelecimento comercial — por telefone, em domicílio, telemarketing, catálogos ou internet — o consumidor tem prazo de sete dias para o desistir da operação, sem precisar apresentar justificativa.


Além disso, você tem o direito de receber seu dinheiro de volta, sem ter que arcar com qualquer custo, inclusive de frete e outras taxas. O período é contado a partir da data de aquisição do produto ou de seu recebimento.


O que é a Cyber Monday 2022? Quando ela acontece?


Além da Black Friday, existe ainda a Cyber Monday – em português, a segunda-feira cibernética. Apesar do nome, a data não se limita a produtos eletrônicos.


No Brasil, os lojistas realizam o evento durante a segunda-feira seguinte à Black Friday, quando realizam a queima de estoque da mercadoria que não foi comercializada. Este ano, ela acontece no dia 28 de novembro.


Ela é chamada de Cyber Monday porque se popularizou como um evento voltado ao comércio eletrônico.



Fonte: CNN

Últimas